Missão da CEFAMOL à Hungria revela oportunidades para empresas portuguesas

Voltar à listagem
“A Hungria tem potencialidades, mas as oportunidades desse mercado têm de ser trabalhadas pelas empresas”. Esta foi, no entender de Manuel Oliveira, secretário-geral da CEFAMOL, uma das principais conclusões da missão realizada pela associação, em conjunto com as empresas Moldes RP, Moldit e Prifer, à Hungria, sublinhando que o resultado final da deslocação se saldou pela positiva.


A missão, que decorreu de 5 a 8 de fevereiro, possibilitou à representação portuguesa conhecer o mercado, contactar com empresas locais, apresentar as capacidades e competências da indústria portuguesa e identificar oportunidades de negócio. Nesse sentido, foram visitados vários fornecedores locais das indústrias automóvel e de embalagem. Um dos destaques foi a visita à fábrica da Mercedes-Benz, instalada em Kecskemét, que tem uma das mais modernas linhas de montagem da marca.

"Nesta deslocação foi também possível constatar que existe um conjunto grande de produtores de primeira linha que trabalham para toda a região da Europa Central como a República Checa, a Polónia ou mesmo a Alemanha", contou Manuel Oliveira.

A missão permitiu, ainda, estabelecer contactos com dois clusters daquele país, o NOHAC e o AIPA, que permitirão, entre outras ações, "lançar as bases para trazer empresas húngaras a visitar Portugal num futuro próximo", afirmou ainda o secretário-geral da CEFAMOL.

A deslocação portuguesa, que contou com o apoio da delegação da AICEP em Budapeste, chamou a atenção da imprensa da Hungria, tendo sido realizadas reportagens com a CEFAMOL, em vários órgãos de comunicação entre os quais, um canal de televisão de Kecskemét.

De acordo com Manuel Oliveira, a indústria húngara tem "uma boa imagem da indústria portuguesa de moldes, devido ao seu carácter inovador e pela competência do seu trabalho".

A delegação portuguesa percorreu as regiões de Bács-Kiskun, Borsod-Abaúj-Zemplén e Pest.

Agenda